Como sair do vermelho: 15 dicas para se livrar das dívidas

Como sair do vermelho

Descontos de até 95% na negociação da sua dívida!!

Entre em contato agora mesmo para consultar gratuitamente a sua situação. Clique no botão!

Sim, tem como sair do vermelho e recuperar sua saúde financeira.

No entanto, isso exige esforço e dedicação, além de mudanças no seu comportamento em relação ao dinheiro.

Não é fácil, mas vale a pena.

Quitar as dívidas e ter o nome limpo permite a você realizar sonhos, ter um futuro de maior tranquilidade e investir em uma vida melhor.

Aceita o desafio por uma vida financeira mais saudável?

Descubra como sair do vermelho agora!

Como sair do vermelho: plano de 15 etapas

Um plano para sair do vermelho é fundamental para recuperar a saúde financeira e evitar que as dívidas se acumulem ainda mais.

E é exatamente isso que você confere agora em 15 etapas que dependem só de você.

Acompanhe as dicas e coloque em prática!

1. Analise suas finanças

Não há como sair do vermelho sem conhecer detalhes sobre as suas finanças.

O primeiro passo, então, é reunir todas as informações financeiras relevantes, incluindo extratos bancários, faturas, recibos e declarações fiscais. 

Se ainda não tem um fluxo de caixa pessoal, este é um bom momento para começar.

Isso vai lhe dar uma visão geral de sua situação financeira, ajudando a identificar onde você está gastando dinheiro, quais são as contas a pagar e quais estão atrasadas, se for o caso.

2. Consulte as suas dívidas

Estar endividado é diferente de negativado.

No entanto, sair do vermelho significa que suas despesas estão superando as receitas, levando a um déficit financeiro.

Mudar essa realidade exige quitar as dívidas – e não há como fazer isso sem saber exatamente quanto deve e para quem deve.

Plataformas de negociação, como a Adimplere, permitem que você faça uma consulta online em poucos passos.

Ao identificar as dívidas em seu nome, valores, prazos e as taxas de juros praticadas, você pode elaborar um plano para pagamento dentro da sua realidade financeira.

3. Crie um orçamento realista

Seu plano é pagar dívidas e sair do vermelho. 

Porém, não dá para destinar tudo o que recebe para esse objetivo. 

Você precisa de um orçamento realista para saber qual percentual dos seus ganhos pode ser usado dessa forma.

Comece anotando todas as receitas e despesas, incluindo gastos fixos, como aluguel, contas de luz, água e telefone, e gastos variáveis, como alimentação, transporte e lazer. 

É importante separar as despesas essenciais das supérfluas e identificar onde é possível cortar gastos. 

Em seguida, estime o valor de despesas não previstas, como gastos emergenciais. 

Seja honesto consigo mesmo e não estime valores muito otimistas. 

Revisar e ajustar o orçamento regularmente ajuda em objetivos como sair do vermelho.

4. Negocie suas dívidas

Não há segredos na negociação de dívidas.

Basicamente, você precisa entrar em contato com os credores e tentar novas condições de pagamento, que podem incluir descontos para quitação à vista ou o parcelamento.

Hoje em dia, já dá para fazer tudo isso pela internet em plataformas como a Adimplere.

Ali, você consulta a dívida e recebe propostas de quitação com vantagens.

5. Aceite as melhores condições

Uma negociação de dívida deve ser vantajosa para o credor e o devedor.

Por isso, é fundamental estar aberto para poder encontrar uma solução interessante para ambos.

O cenário perfeito não existe, que seria o perdão da dívida. E aguardar pela sua prescrição é sempre um risco.

Então, esteja pronto para reconhecer e aceitar acordos que tragam as melhores condições possíveis – aquelas que cabem no seu bolso.

6. Estabeleça um plano de pagamento

O planejamento financeiro é a melhor forma de se organizar para pagar dívidas.

Depois de superar a fase de negociação, é disso que você precisa para honrar o compromisso assumido.

Você pode criar uma planilha de dívidas que traga informações sobre o credor, o valor do débito e o prazo de pagamento.

Cruze esses dados com o orçamento que definiu antes e construa um cronograma para arcar com os valores mensais do acordo até a quitação total do débito, sempre respeitando a sua capacidade financeira.

7. Saiba quais dívidas priorizar

Em complemento à etapa anterior, chega a hora de definir o que pagar primeiro.

Com um plano bem estruturado e com as dívidas priorizadas, você consegue quitar o que deve de forma mais organizada e, assim, recuperar a saúde financeira o quanto antes.

Uma forma de fazer isso é listar todas as dívidas e identificar aquelas que têm juros mais altos, pois são as que tendem a se acumular mais rapidamente. 

Além disso, é importante priorizar as dívidas que têm maior impacto na sua vida financeira, como valores devidos a fornecedores de serviços essenciais, por exemplo.

8. Corte gastos desnecessários

Gastos desnecessários podem prejudicar os esforços de quem está tentando quitar dívidas. 

Por isso, é importante avaliar suas despesas e identificar aquelas que não são essenciais ou que podem ser reduzidas. 

São exemplos: assinaturas de serviços não utilizados regularmente, compras por impulso, refeições fora de casa ou excesso de gastos com lazer. 

A ideia é que os recursos sejam direcionados para quitar as dívidas, atendendo ao seu planejamento financeiro.

9. Aumente sua renda

Aumentar a renda pode ser uma estratégia importante para quem tem um plano para quitar dívidas. 

Existem diversas formas de conseguir dinheiro, como encontrar uma atividade extra, realizar trabalhos freelancer, vender produtos ou serviços, ou ainda procurar um emprego com melhor remuneração.

Avalie as opções disponíveis e escolha aquela que pode ser realizada sem prejudicar outras atividades. 

Mas atenção: a renda extra deve ser utilizada para pagamento de dívidas e não para aumentar os gastos. 

Com disciplina e foco, você fica mais perto de sair do vermelho.

10. Use seus ativos para pagar dívidas

Considere vender bens que não são essenciais para pagar suas dívidas.

Contudo, tenha em mente que essa deve ser uma medida excepcional e realizada com planejamento e organização.

Antes de começar, avalie a necessidade da venda e identifique quais são os itens que podem ser negociados. 

Artigos de valor, como imóveis, carros ou joias, são boas opções para gerar recursos para pagar suas dívidas. 

Para ter sucesso, leve em conta o valor de mercado dos bens e defina um preço justo. 

11. Avalie uma possível ajuda profissional

Se estiver tendo dificuldades para lidar com suas dívidas, procure ajuda profissional, como um consultor financeiro ou uma organização de aconselhamento de crédito.

O Instituto DSOP, por exemplo, oferece cursos e treinamentos sobre educação financeira, incluindo orientações para a gestão de dívidas e renegociação com os credores.

Um profissional especializado em finanças pode ajudar a avaliar a sua situação e a estabelecer um plano de ação para quitar seus débitos de forma organizada. 

12. Mantenha o foco

Mantenha o foco em seu objetivo de sair do vermelho e não desanime com contratempos.

Lembre que você tem um planejamento claro e que segui-lo é o certo a se fazer.

Nessa jornada, muitas vezes, será preciso resistir às tentações que podem afastá-lo de seus objetivos financeiros.

É o caso das compras por impulso, que prejudicam o orçamento, ou mesmo a dificuldade de dizer não a amigos e familiares, por vezes tendo que recusar convites para festas e eventos.

Por outro lado, reconheça suas conquistas ao longo do caminho, mesmo que sejam pequenas, para se manter motivado.

13. Use a tecnologia a seu favor

Com o uso adequado da tecnologia, é possível organizar as finanças, economizar dinheiro e quitar as dívidas de forma mais eficiente.

Existem ferramentas digitais que podem auxiliar no planejamento financeiro e na organização das dívidas, como aplicativos de controle de gastos, de orçamento e de monitoramento de contas bancárias.

Uma boa ideia é configurar o pagamento automático de contas e lembretes para evitar atrasos.

Além disso, prefira recorrer a plataformas online para negociar dívidas, evitando gastos com ligações telefônicas ou deslocamentos.

14. Melhore seus hábitos financeiros

Muitas vezes, não há como sair do vermelho se você não consegue abandonar velhos hábitos ruins com relação ao seu dinheiro.

Eles prejudicam tanto o objetivo de pagar dívidas quanto o de evitar novos débitos.

São exemplos de boas práticas: aprender a economizar, gastar com moderação e buscar informações sobre educação financeira, por meio de livros, artigos, vídeos e cursos.

15. Não faça novas dívidas até quitar as anteriores

Ao avançar no planejamento e perceber que sair do vermelho é uma realidade próxima, você pode acreditar que tem o controle da situação e que já pode contrair novas dívidas.

Não caia nessa armadilha!

Se for por esse caminho, os juros e as parcelas podem tornar a situação financeira ainda mais difícil, levando a um ciclo vicioso de endividamento.

Além disso, a pressão emocional e psicológica de ter novas dívidas pode afetar sua saúde mental e a qualidade de vida.

Você está quase lá. Não é o momento de dar um passo atrás.

Dê o primeiro passo para sair do vermelho

Você viu neste conteúdo que tem como sair do vermelho com planejamento, organização, disciplina e persistência.

E tudo fica mais fácil quando as condições para quitar os débitos cabem no bolso, não é verdade?

Pois essa realidade nunca esteve tão perto de você.

A Adimplere é uma plataforma de cobrança digital, automatizada e totalmente transparente.

Com a gente, todo o processo é online: da consulta de dívidas à sua quitação. E o melhor: com super descontos e nas melhores condições.

Comece agora a fugir das dívidas!

Descontos de até 95% na negociação da sua dívida!!

Entre em contato agora mesmo para consultar gratuitamente a sua situação. Clique no botão!

Últimos Artigos Adimplere

Limpe seu nome hoje mesmo com a Adimplere!

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência dos usuários. Ao utilizar os serviços deste site você concorda com as nossas políticas de privacidade.