Como aumentar o score? Veja 14 dicas para melhorar a pontuação

Como aumentar o score

Descontos de até 95% na negociação da sua dívida!!

Entre em contato agora mesmo para consultar gratuitamente a sua situação. Clique no botão!

Você gostaria de saber como aumentar o score de crédito para ter menos restrições?

Se você está com o score baixo por causa de dívidas, temos uma notícia animadora: é possível aumentar o score de crédito mesmo que o total de suas dívidas não seja pago.

Tudo é uma questão de se organizar e se planejar para ir aos poucos honrando os compromissos.

Acredite: se você quer pagar, seu credor quer receber, não importa como.

Partindo desse princípio, já tem o que precisa para recuperar o acesso ao crédito e voltar a ser um consumidor responsável.

Entenda como fazer isso lendo este texto até o final.

Como aumentar o score em 14 passos

O score de crédito é um sistema usado pelos birôs SPC/Serasa e SCPC/Boa Vista para classificar consumidores conforme eles se mostram mais ou menos inadimplentes.

Funciona assim: todas as pessoas físicas que já tenham comprado no varejo ou sejam clientes bancários começam com 1.000 pontos, o máximo que se pode alcançar.

Se ao longo da vida a pessoa se mantiver adimplente sem atrasar nenhuma conta por um dia, essa pontuação não muda, ou seja, seu score continua excelente.

Se um dia ela vier a comprar a prazo, pedir um empréstimo ou financiamento e não pagar, então isso gera como penalidade a perda de pontos.

Se nada for feito, a pontuação continuará baixa, fazendo com que a pessoa sofra restrições junto ao comércio e aos bancos.

Em certos casos, a recuperação dessa pontuação vai demandar um esforço em longo prazo, enquanto em outros, algumas poucas medidas podem resolver.

Veja 14 dessas medidas na sequência e entenda como aumentar o score.

1. Pague suas contas em dia

Para colocar em prática esse importante passo, você precisará criar um sistema de gerenciamento financeiro pessoal.

Comece organizando suas contas por data de vencimento e crie lembretes, seja por meio de um aplicativo, calendário físico ou alarmes no celular.

Automatizar pagamentos é uma excelente opção para garantir que não haja atrasos.

Outra medida é criar um orçamento para garantir que você tenha fundos disponíveis para cobrir todas as despesas.

Se perceber que está com dificuldades para pagar em dia, entre em contato com os credores e explore opções de negociação ou parcelamento.

2. Reduza o saldo de suas dívidas

Comece identificando suas dívidas existentes, listando-as por valor e taxa de juros.

A partir desse inventário, avalie a melhor estratégia para pagá-las. 

A abordagem “snowball” consiste em pagar primeiro as dívidas menores, enquanto a abordagem “avalanche” prioriza as dívidas com as maiores taxas de juros.

Escolha a que se adapte melhor à sua situação. 

Para reduzir dívidas, corte gastos desnecessários e direcione qualquer renda extra  —  como bônus ou trabalhos freelancers — para pagamentos.

Se possível, aumente o valor mensal que você paga para liquidar as dívidas mais rápido e lembre-se de não contrair mais dívidas enquanto se esforça para reduzir as existentes.

3. Mantenha suas contas antigas abertas

Manter contas antigas abertas é benéfico para o seu histórico de crédito, pois demonstra um relacionamento de longo prazo com os credores. 

Uma conta antiga reflete estabilidade financeira e pode melhorar seu score, desde que você não use essas contas com frequência ou incorra em atrasos constantes nos pagamentos. 

O crédito utilizado nos cartões, por exemplo, não deve comprometer seu plano de reduzir dívidas.

Se você precisar de um novo cartão de crédito, em vez de fechar uma conta antiga, adicione o novo e continue mantendo um saldo devedor baixo, além é claro de pagar em dia.

4. Evite abrir várias novas contas de crédito

Abrir muitas novas contas de crédito em um curto período de tempo pode sinalizar risco aos credores e prejudicar seu score de crédito.

Para evitar isso, limite a abertura de novas contas apenas às necessidades essenciais.

Antes de solicitar um novo crédito, avalie cuidadosamente o motivo e se é realmente necessário.

Ao fazer compras, considere pagar à vista sempre que possível.

Se precisar de um novo cartão de crédito, faça uma pesquisa para encontrar aquele que melhor atenda às suas necessidades e tenha taxas razoáveis.

Lembre-se de que consultas de crédito para abertura de novas contas também podem afetar temporariamente o score, então evite fazer muitas solicitações em um curto período.

5. Diversifique os tipos de crédito utilizados

A diversificação dos tipos de crédito usados pode mostrar que você é capaz de gerenciar o crédito de maneira responsável, sem ficar com o nome sujo.

Isso inclui empréstimos, cartões de crédito, financiamentos e até mesmo contas de lojas, se usadas de forma responsável.

Ter um mix equilibrado ajuda a construir um perfil de crédito sólido, no entanto, isso não significa que você deve sair solicitando vários tipos de crédito de uma vez.

É melhor adicionar novos tipos de crédito ao longo do tempo, conforme necessário, e sempre mantendo a capacidade de pagamento e o controle sobre suas dívidas.

6. Negocie suas dívidas

Se você está enfrentando dificuldades financeiras e lutando para pagar suas dívidas, negociar com seus credores é sempre a melhor opção. 

Entre em contato com eles para explicar sua situação e discutir alternativas.

A novação, por exemplo, pode ser uma solução interessante.

Você pode propor um plano de parcelamento, taxas de juros reduzidas ou mesmo a quitação da dívida com um desconto, se você puder pagar uma quantia menor em uma única vez.

Nesse caso, vale observar outra dica, que é nunca deixar de solicitar os recibos e documentos dos acordos antes de fazer qualquer pagamento.

A Adimplere está ao seu lado nesse momento, servindo como uma ponte entre você e os credores em nosso portal de negociação.

7. Trabalhe com um orçamento mensal

Ninguém pode ter saúde financeira sem entender suas próprias finanças.

Nesse sentido, o orçamento mensal é uma ferramenta indispensável.

Comece listando todas as suas fontes de renda mensal, incluindo salário, trabalhos extras e freelas.

Em seguida, anote todas as suas despesas regulares, como moradia, contas de serviços públicos, alimentação, transporte, entretenimento, dívidas e poupança.

Certifique-se de incluir despesas variáveis e eventuais, como manutenções de emergência ou presentes.

Compare sua renda com suas despesas para determinar se está gastando dentro de suas possibilidades.

Se as despesas excederem a renda, é hora de fazer cortes naquelas que não são essenciais.

O objetivo é encontrar um equilíbrio entre suas contas, permitindo que você atenda a todas as suas obrigações financeiras e ainda tenha espaço para economizar.

8. Registre o seu fluxo de caixa pessoal

Manter um registro detalhado de seu fluxo de caixa é uma extensão natural do orçamento.

Acompanhe todos os gastos e ganhos, mesmo os pequenos. 

Isso permite que você identifique padrões de gastos, localize áreas onde pode economizar e compreenda melhor como seu dinheiro está sendo usado.

Use planilhas, aplicativos de finanças pessoais ou cadernos, conforme preferir.

Revisar regularmente seu fluxo de caixa ajuda a se manter responsável financeiramente e a tomar melhores decisões.

9. Priorize o pagamento das dívidas pequenas

Ao lidar com várias dívidas, uma estratégia eficaz é focar nas dívidas menores primeiro, seguindo a já mencionada abordagem “snowball”.

Organize suas dívidas em ordem crescente de saldo.

Pague o mínimo em todas elas e, com qualquer dinheiro extra que tenha disponível, direcione-o para a dívida menor.

Quando uma dívida menor é liquidada, o valor que você estava pagando mensalmente para ela é direcionado para a próxima dívida menor.

Essa abordagem gera um efeito motivador, pois você vê progresso mais rapidamente ao quitar dívidas menores.

10. Peça ajuda, caso seja compulsivo

Reconhecer que existe um comportamento compulsivo em relação aos gastos é o primeiro passo em direção a uma vida financeira mais estável.

Por isso, se você se sente incapaz de controlar impulsos de compra e isso está afetando negativamente suas finanças, não deixe de buscar ajuda.

Comece conversando com amigos e familiares de confiança sobre sua situação.

Eles podem oferecer apoio emocional e ajudar a manter você responsável. 

Considere procurar aconselhamento profissional, como um terapeuta financeiro ou psicólogo especializado em questões financeiras.

Outra solução é buscar apoio em grupos de ajuda mútua, como os Devedores Anônimos, que usam o programa de 12 passos para recuperar endividados crônicos.

11. Habitue-se a gastar de acordo com o que ganha

Essa é uma prática fundamental para manter uma vida financeiramente saudável. 

O ponto de partida é o orçamento mensal, no qual você mantém o controle da sua renda mensal e das despesas fixas e variáveis.

Mantenha-se fiel a esse orçamento e evite gastar mais do que está ganhando.

Ao comprar, pergunte a si mesmo se a compra é realmente necessária ou se é um desejo momentâneo.

Seja honesto consigo mesmo e evite cair em armadilhas de gastos desnecessários, lembrando de reservar uma parte da sua renda para economias e imprevistos.

12. Não use o crédito para despesas supérfluas

O crédito pode ser uma ferramenta valiosa, mas usá-lo para despesas supérfluas pode levar ao superendividamento.

Reserve o crédito para emergências genuínas ou para investimentos que tenham retorno financeiro, como educação ou negócios.

Ao fazer compras, especialmente as supérfluas, opte por usar dinheiro ou débito, assim você só gastará o que realmente tem disponível.

Se você já tem cartões de crédito, evite acumular saldos pendentes, pagando o valor total da fatura todo mês.

Isso ajudará a evitar o acúmulo de juros e a manter suas finanças sob controle.

Lembre-se de que o crédito é um empréstimo e, se não for usado com responsabilidade, pode levar a problemas financeiros a longo prazo.

13. Planeje-se antes de recorrer ao crédito

Antes de usar o crédito, avalie sua necessidade real e analise diferentes opções, como taxas de juros e prazos de pagamento.

Com essas informações, verifique se é viável incorporar essa dívida ao seu orçamento e, caso perceba que o valor extrapola quanto você ganha, não contraia crédito.

14. Eduque-se financeiramente

Busque sempre conhecimento sobre finanças pessoais, incluindo orçamento, investimentos, dívidas e economias, tal como você está fazendo agora.

Muitos dos problemas financeiros podem ser evitados se a pessoa desenvolve uma relação mais consciente com o dinheiro, o que só acontece com uma boa educação financeira.

Como aumentar o score rápido?

O ritmo da recuperação do score de crédito vai depender de quão baixo ele está e da efetividade das ações nesse sentido.

Não dá para esperar um score excelente junto ao Serasa de um dia para outro quando a pontuação está entre 0 e 300.

Não existe fórmula mágica, portanto, o melhor é ter paciência e dar tempo ao tempo.

Quanto tempo leva para aumentar o score?

No site da Serasa Experian, o score de crédito pode aumentar imediatamente, como acontece quando uma dívida listada é paga.

De qualquer forma, o tempo para o score aumentar pode variar, em função do comportamento do consumidor e, claro, de quantas dívidas ele paga em um certo período.

Existe truque para aumentar score?

Já diz o ditado que “quando a esmola é demais, até o santo desconfia”.

Nunca acredite em pessoas, empresas ou instituições que dizem poder recuperar o seu score com truques ou pagamentos de taxas.

Esteja sempre alerta, sabendo que a única maneira possível de aumentar o score é pagar dívidas em aberto e manter o acesso ao crédito.

Qual score é bom para financiamento?

Embora não seja uma regra, estima-se que qualquer pontuação acima de 700 pontos seja suficiente para ter um pedido de financiamento aprovado.

Isso vale para veículos e imóveis ou quaisquer bens de consumo duráveis para pessoas físicas.

Como consultar o seu score?

A partir do que vimos, cada birô de crédito tem o seu próprio score.

Para consultá-lo, siga os passos abaixo:

  • Acesse o site do órgão de proteção ao crédito, SPC/Serasa ou SCPC/Boa Vista
  • Cadastre-se no site, fornecendo seus dados
  • Verifique se há ofertas de consulta gratuita
  • Caso não haja, selecione a opção de consulta paga
  • Receba seu score e análise de crédito.

Como negociar dívidas para aumentar o score

Sua vida financeira pode e vai melhorar.

É para isso que a Adimplere trabalha todos os dias.

Utilize o nosso portal de negociação, liste as dívidas abertas em seu nome e negocie com descontos imbatíveis de até 96%.

Livre-se das ligações intermináveis de cobrança e volte a ter crédito para realizar seus planos. Com a Adimplere, você consegue!

Descontos de até 95% na negociação da sua dívida!!

Entre em contato agora mesmo para consultar gratuitamente a sua situação. Clique no botão!

Últimos Artigos Adimplere

Limpe seu nome hoje mesmo com a Adimplere!

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência dos usuários. Ao utilizar os serviços deste site você concorda com as nossas políticas de privacidade.