Adimplere

Você sabe precificar produtos e serviços corretamente?

Precificar produtos e serviços é uma tarefa importante para qualquer tipo de empreendimento. A partir disso, são definidos os valores que os consumidores deverão desembolsar para poder desfrutar daquele bem.

Uma boa precificação considera uma série de fatores, tangíveis e intangíveis. Por isso, é comum que os gestores tenham diversas dúvidas sobre o assunto. Pensando nisso, elaboramos este post para você descobrir se realmente sabe como precificar produtos e serviços da maneira certa!

A importância de uma precificação correta

Antes de saber como precificar produtos corretamente, é necessário entender como isso contribui para a gestão de um negócio. Muitos sabem que os preços colaboram apenas para a atração de novos clientes, e essa é somente uma das razões para prezar por uma precificação assertiva.

Uma política de custo correta tem o poder de manter clientes antigos e de se ajustar ao perfil do público alvo. Dominando o processo de precificar produtos e/ou serviços, o gestor passa a entender melhor a sua posição no mercado competitivo e atuar mais estrategicamente.

Além disso, um preço de venda correto garante um fluxo de caixa positivo e a posse dos recursos necessários para dar continuidade às operações da empresa, impulsionando seu desenvolvimento.

Os principais desafios na definição dos preços

Para acertar ao precificar produtos, é preciso superar certos desafios. Uma das maiores dificuldades é conseguir aliar os indicadores mensuráveis com os fatores mais abstratos.

Ao considerar apenas os elementos tangíveis como a média mensal de custo fixo, o valor definido pode estar em desacordo com a adequação ao mercado, por exemplo. Outro grande dilema é o alinhamento entre os índices de faturamento da empresa e o bom atendimento ao cliente.

Sendo assim, os preços não podem ser muito elevados, nem extremamente baixos. Porque dessa forma, alguma das partes sairia em desvantagem.

Dicas para precificar produtos e serviços adequadamente

Existem algumas dicas básicas que auxiliam na criação de um valor justo, que não afaste os consumidores e nem ocasione prejuízos às finanças da empresa. Confira:

1. Analise a atual situação da organização

Os preços devem propiciar um faturamento suficiente para cobrir os gastos organizacionais, permitindo um fluxo de caixa positivo. Por isso, entre os fatores preponderantes no momento de precificar produtos e serviços, destaca-se o custo — ele corresponde aos gastos necessários para aquele bem.

Ou seja, a matéria-prima e os impostos no caso de produtos e, já para os serviços, considere o material necessário para sua realização e a mão de obra. As despesas — gastos que dão suporte ao funcionamento do negócio — também são muito importantes.

2. Estabeleça uma margem de lucro

Cobrir os custos e despesas é somente o mínimo para a sobrevivência da empresa. Seu maior objetivo é alcançar lucro. Para isso, deve ser embutida uma margem de lucro no preço de venda — esse valor representa o lucro líquido obtido.

Não há um padrão ideal para esse número. Portanto, cabe ao gestor determinar o percentual mais adequado. Vale ressaltar que é preciso ter bom senso e equilíbrio para estabelecer uma margem justa para todas as partes.

3. Leve em conta o valor agregado e o percebido

A qualidade deve refletir nos valores e, por isso, leve em conta o preço agregado e o percebido pelo cliente. O custo também representa a relação de uma marca com o público e quais são seus diferenciais.

O próprio preço pode influenciar na percepção de valor, uma vez que os consumidores costumam duvidar da idoneidade de produtos/serviços demasiadamente baratos. Dessa forma, é evidente a relevância de considerar o aspecto mercadológico, a fim de se ajustar às exigências do mercado e ser mais compatível com a concorrência.

Embora seja um desafio encontrar o equilíbrio entre os interesses do negócio e dos clientes, esse é um esforço que vale a pena. Afinal, atribuir os preços adequados aos seus produtos e serviços é uma forma de se manter e gerar vantagem competitiva.

Colocar em prática algumas das dicas que citamos pode ser o primeiro passo para tornar a atividade de precificar produtos muito mais assertiva e estratégica. Se você gostou desse artigo, que tal compartilhar em suas redes sociais? Assim, seus amigos também saberão como precificar produtos e serviços corretamente.